29 abril 2009

Nutrindo PAZ

Sangha Virtual
Estudos Budistas
Tradição do Ven. Thich Nhat Hanh


O Buda falou sobre o caminho de emancipação em termos de consumo. Em O Discurso na Carne do Filho o Buda ensinou que nós consumimos quatro tipos de nutrientes. Se diariamente nós estivermos atentos ao que nós estamos consumindo e entendermos sua natureza, poderemos transformar o sofrimento dentro de nós e ao nosso redor. Consumir com consciência é essencial para acabar com o terrorismo.

A PRIMEIRA NUTRIÇÃO: O ALIMENTO QUE COMEMOS

O primeiro tipo de nutrição sobre a qual o Buda falou é o alimento que nós comemos. Ele nos aconselhou que comêssemos conscientemente de forma que a compaixão pudesse ser mantida em nosso coração. Os alimentos que nós comemos podem trazer venenos ao nosso corpo que podem destruir nossa compaixão. Eles podem causar sofrimento ao nosso corpo, nossa mente e ao mundo. Então, nós temos que saber o que estamos comendo e se o alimento que comemos está nos destruindo e destruindo nosso planeta.

Produção de álcool requer grãos que poderiam ser usados para alimentar as pessoas famintas do mundo. Fazer um copo de vinho de arroz leva uma cesta inteira de arroz que poderia alimentar crianças famintas. Oitenta por cento do milho e noventa e cinco por cento da aveia nos Estados Unidos são usados para alimentar animais criados para os humanos comerem. O mingau de aveia que os humanos comem pela manhã é só cinco por cento da quantidade de aveia plantada nos Estados Unidos. Somente o gado existente no mundo consome uma quantidade de comida equivalente às necessidades calóricas de 8,7 bilhões de pessoas, mais que a população humana inteira na Terra.

Há muitas pessoas que estão morrendo de fome no mundo. A UNICEF diz que diariamente 40.000 crianças morrem de desnutrição. Enquanto isso, muitos de nós no ocidente comemos demais. Cinqüenta e cinco por cento dos americanos são obesos. Obesidade está rapidamente se tornando uma epidemia nacional. Quando nós comemos demais, destruímos nosso corpo, o corpo de nossos antepassados e de nossos descendentes. Um economista francês me falou uma vez que se países super-desenvolvidos no ocidente reduzissem seu consumo de carne e de álcool em cinqüenta por cento, poderíamos resolver o problema da fome no mundo.

A Faculdade de Emory informa o seguinte impacto ambiental devido à produção de carne norte-americana:

Terra: De toda terra agriculturável nos EUA, 87 por cento são usados para criar animais para abate. Isso é 45 por cento do total dos EUA.

Água: Mais da metade de toda a água consumida nos EUA para todos os propósitos é usada para criar animais para abate. São necessários 2.500 galões de água para produzir uma libra de carne. São necessários 25 galões de água para produzir uma libra de trigo. Isso é 25 contra 2.500 galões de água. Uma dieta totalmente vegetariana requer 300 galões de água por dia, enquanto uma dieta baseada em carne requer 4.000 galões de água por dia.
Poluição: Criação de animais para abate causa mais poluição de água nos EUA que qualquer outra indústria. Animais criados para abate produzem 130 vezes o excremento da população humana inteira, 87.000 libras por segundo. Muito do lixo das fazendas e de matadouros são jogados nos rios, contaminando fontes de água.

Desmatamento: Cada vegetariano economiza um acre de árvores todos os anos. Mais de 260 milhões de acres de florestas norte-americanas foram clareados para cultivar colheitas para alimentar animais criados para abate. Um acre de árvores desaparece cada oito segundos. As florestas tropicais estão sendo destruídas para criar pastos para gado. Podem ser derrubados cinqüenta e cinco pés quadrados de floresta tropical para produzir apenas um hambúrguer.

As florestas são nossos pulmões. Elas nos dão oxigênio e protegem nosso ambiente. Se nós comermos carne, estaremos destruindo as florestas e estaremos comendo a carne de nossa Mãe Terra. Todos nós, inclusive crianças, temos a capacidade de ver o sofrimento de animais criados para abate. Nós podemos escolher comer conscientemente e proteger a felicidade e vidas das espécies e da Mãe Terra.

O modo que nós comemos até mesmo provoca guerra. A quantidade de recursos que usamos para fazer carne é imensa. As pessoas nos EUA são só seis por cento da população do mundo inteiro, mas os recursos que eles consomem são sessenta por cento de todos os recursos usados em Terra. No ocidente vivemos luxuosamente, comendo muito mais que precisamos, enquanto outros estão morrendo de fome. Nós comemos de tal modo que destruímos a Terra. Esta é uma grande injustiça, uma ofensa contra a raça humana inteira, como também aos animais, plantas, minerais e a atmosfera. Esta desigualdade causa ódio e enfurece o mundo. Quando as pessoas se enfurecem e o ódio é reprimido, ele explode em violência.

Nós temos a chance para parar a matança de animais e achar outros modos não violentos para produzir nossa comida. A comida pode ficar deliciosa sem usar a carne de animais. Quando comemos conscientemente, mantemos a consciência de nossa interdependência com outros seres e esta consciência nos ajuda a manter a compaixão em nosso coração. Quando nós comemos com compaixão, a felicidade surge. Um modo de nutrir nossa compaixão é discutir com nossa família como comer e beber com mais consciência. Outro modo é, como sociedade, olhar conjuntamente a maneira como nós produzimos e consumimos comida.

Retirado do BLOG: http://sangavirtual.blogspot.com/

Para ver na integra acesse o blog!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...