27 dezembro 2009

A mente solitária

É uma coisa extraordinária descobrir por si mesmo o que significa compreender alguma coisa imediatamente, sem uma porção de palavras - ver um fato como um fato, completamente, sem argumentação. A partir desse ato de ver, a pessoa pode argumentar, discutir, entrar em detalhes; mas primeiro a pessoa tem que ter essa espantosa intensidade de ver pois é o próprio ato de ver - ver sem pensamento - que provoca a transformação. Isto pode parecer um tanto absurdo, mas não é, como vocês descobrirão quando investigarmos mais tarde.

Para ver, para ouvir, a mente deve estar completamente e espontaneamente quieta - não forçada, não empurrada para a quietude. Só uma mente quieta pode ouvir, pode ver, não uma mente que tem inumeráveis problemas. Quando a mente percebe que não pode ver porque tem muitos problemas, esse próprio saber que ela não pode ver provoca o ato de ver.

Tudo isto demanda uma extraordinária atenção. Quando você pode dar toda atenção, não só atenção intelectual ou verbal, mas quando todo o seu ser - corpo, mente, e emoção - está atento, você está então num estado da mais alta sensibilidade, e apenas tal mente é virtuosa.

Por favor, ouçam isto. O homem que se esforça pela virtude não é um homem virtuoso. O homem que se esforça para ser bom, amável, não é bom ou amável, porque bondade, amabilidade, ou amor só surgem quando a mente está tão completamente atenta que não tem conflito.



...só uma mente que está completamente só pode descobrir a realidade. E existe uma realidade - não uma realidade teórica, não algo inventado pelos cristãos ou pelos hindus ou vivenciado por alguns santos de acordo com seu condicionamento particular, mas uma realidade, uma imensidão que pode ser descoberta apenas por uma mente que viu através de seus próprios caminhos e compreendeu a si mesma...

Retirado do site: ICK

21 dezembro 2009

Maior bem



…”O maior bem é o conhecimento da união da mente com a natureza (…) Quanto mais a gente sabe, melhor compreende as forças e a ordem da natureza; quanto mais compreende suas forças ou seu poder, melhor será capaz de dirigir a si mesmo e estabelecer as leis para si mesmo; e quanto mais compreender a ordem da natureza, mais condições terá de se libertar das coisas inúteis; o método é este”.

15 dezembro 2009

Eras, Ciclos e Períodos - Fatores Discursivos


O tempo ocidental se baseia numa visão totalmente linear. Os anos são contados a partir de uma hipótese (data aproximada do nascimento de Cristo – ano zero); ou seja, em nenhum momento, as festas anuais estão em sincronia com os fluxos cósmicos. Já para o oriental, em particular o chinês, tudo se fundamenta em ciclos energéticos que se repetem infinitamente e refletem a própria força da Natureza. Assim, tanto o povo quanto os sábios calculavam as “probabilidades do destino” observando o movimento lunar e solar na chamada esfera celestial.

O complexo calendário utilizado na China foi construído levando-se em conta o casamento de três fatores temporais: os Troncos Celestiais (Steams), associados às expressões puras do Wu Xing (Cinco Ciclos do Qi) nas polaridades Yin (absorção) e Yang (expansão); Ramos Terrestres (Branches), que são energias misturadas e demonstram o posicionamento da Terra em relação ao Sol (para facilitar a compreensão da população, eram associados às estações do ano); e Luo Shu (números do Quadrado Mágico), método que ordena o tempo em Períodos (20 anos), Ciclos (3 períodos – 60 anos), Eras (3 Ciclos – 180 anos) e Épocas (20 eras – 3600 anos).

Aos Troncos, nos referimos:

1. Jia (Madeira Yang);
2. Yi (Madeira Yin);
3. Bing (Fogo Yang);
4. Ding (Fogo Yin);
5. Wu (Terra Yang);
6. Ji (Terra Yin);
7. Geng (Metal Yang);
8. Xin (Metal Yin);
9. Ren (Água Yang);
10. Gui (Água Yin);

Aos Ramos, nos referimos:

I Zi /Rato (Água Yin);
II Chou /Búfalo (Terra Yin /Água Yin / Metal Yin);
III Yin /Tigre (Madeira Yang /Fogo Yang /Terra Yang);
IV Mao /Coelho (Madeira Yin);
V Chen /Dragão (Terra Yang /Madeira Yin /Água Yin);
VI Si /Serpente (Fogo Yang /Metal Yang / Terra Yin);
VII Wu /Cavalo (Fogo Yin /Terra Yin);
VIII Wei /Cabra (Terra Yin /Fogo Yin / Madeira Yin);
IX Shen /Macaco (Metal Yang /Água Yang / Terra Yang);
X You /Galo (Metal Yin);
XI Xu /Cachorro (Terra Yang /Metal Yin /Fogo Yin);
XII Hai /Porco (Água Yang /Madeira Yang);

Os números arábicos ímpares só podem se associar com os números romanos ímpares, e as combinações entre números pares seguem a mesma lógica (Yang-Yang / Yin-Yin, respectivamente). Sessenta combinações possíveis denominados Binômios surgem das relações Tronco/Ramo, e a cada ano, um novo binômio se instaura (Macaco de Madeira Yang – 1/IX em 2004).

Já os números do Luo Shu são separados em 9 qualidades denominadas Estrelas. Cada uma se relaciona com 20 anos do nosso calendário (Períodos), e nos esclarecem sobre as predições num sentido global. Assim, teríamos resumidamente, os significados estelares:

Branca 1 – Criatividade / Período de Paz;
Preta 2 – Doenças / Revolução na medicina;
Jade 3 – Grandes aberturas / Disputas, guerras;
Verde 4 – Relações pessoais / Evolução cultural;
Amarela 5 – Instabilidades sociais/ Guerras;
Branca 6 – Grandes corporações / Estratégia, conquistas;
Vermelha 7 – Pesquisas esotéricas / Expansão das tecnologias de comunicação;
Branca 8 – Evolução consistente / Introspecção, busca consciencial;
Púrpura 9 – Comemorações / Aberturas intercontinentais;

O Período 8 se iniciou em 2004, e continuará regendo até 2023. Perceba ainda que os 60 Binômios se associam a um Ciclo (3 Períodos – 60 anos), e que a cada 180 anos (uma Era), teríamos o início de todos os calendários (Estrela 1 / Ano 1-I, Rato de Madeira Yang).

O Calendário solar chinês inicia-se no dia 4 ou 5 de fevereiro, ou seja, quando o Sol passa a 15 Graus do Signo de Aquário (momento cósmico-terrestre em que o Yin se transforma em Yang). É interessante notar que pela astrologia ocidental, a cada 3600 anos (uma Época) ocorre uma conjunção muito rara entre Netuno-Urano, Saturno-Júpiter, junto com um alinhamento especial de todos com a Terra. Outras tradições orientais, como a hindu, utilizam relações muito próximas ao contexto chinês (segundo consta, em 4564, uma nova época terá inicio). Seria o fim da Kali Yuga e o retorno ao auge do Ouro / Sat Yuga ? Especulações a parte, uma certeza é constatada: a total relação do conceito temporal descoberto pelos antigos chineses com os ciclos cósmicos naturais, e da sabedoria que o mitólogo Mircea Eliade descreveu como o “Mito do Eterno Retorno”.

Por Marcos Murakami
Retirado do site: www.marcosmarakami.com.br

08 dezembro 2009

TAO



~~The Dao (tao) which you try to express in words is not complete truth,but is partial Dao.~~
~~~~~The Dao is absolute reality, the true meaning of which is beyond words.~~~~
~~~~~How can truth be expressed when you have not experienced it?~~~~
~~~~~In dao the motion is a return, see death as Circulation.~~~~
~~~~~ Going to be dead forever? or live forever?~~~~~~
~~~~~ Who am I ? before I am who am I?~~~~
~~~~~What's mean be Natural?~~~~~
~~~~What's our morality?~~~~
~~~~Ture Love? ~~~~
~~~WuWei?~~~
~~Dao?~~
~1?~
O

COMO?

Ora, como se sente o todo? Entendeis o que quero dizer? Sentir, não apenas como inglês, mas sentir a totalidade da humanidade; sentir não apenas a beleza das paisagens da Inglaterra, que são realmente belas, porém a beleza de toda a Terra; sentir o amor total — não apenas o amor por minha mulher e meus filhos, mas o sentimento total de amor; conhecer o sentimento total da beleza, não da beleza de um quadro pendente da parede, ou de um sorriso num rosto belo, ou de uma flor, de um poema, porém aquele sentimento de beleza que transcende todos os sentidos, todas as palavras, toda expressão. Como sentir assim?

VOCÊ SABIA?

Uma bela biblioteca digital, desenvolvida em software livre, mas que está prestes a ser desativada por falta de acessos. Imaginem um lugar onde você pode gratuitamente:

· Ver as grandes pinturas de Leonardo Da Vinci ;
· escutar músicas em MP3 de alta qualidade;
· Ler obras de Machado de Assis Ou a Divina Comédia;
· ter acesso às melhores historinhas infantis e vídeos da TV ESCOLA
· e muito mais....



Esse lugar existe!

O Ministério da Educação disponibiliza tudo isso,basta acessar o site: www.dominiopublico.gov.br

Só de literatura portuguesa são 732 obras!

Estamos em vias de perder tudo isso, pois vão desativar o projeto por desuso, já que o número de acesso é muito pequeno. Vamos tentar reverter esta situação, divulgando e incentivando amigos, parentes e conhecidos, a utilizarem essa fantástica ferramenta de disseminação da cultura e do gosto pela leitura.


Divulgue para o máximo de pessoas!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...